MASTERS: Missão impossível para Tiger

O nº1 mundial nunca ganhou um major vindo de trás na última volta. Quatro pancadas separam-no dos líderes, Brand Snedeker e Angel Cabrera.

Tiger Woods soma 14 títulos no Grand Slam e é o segundo melhor de sempre neste capítulo. Em comum a todos estes títulos, o facto de ter partido para a última volta a liderar. Se quiser conquistar hoje no Masters o seu major nº15 – que lhe foge desde 2008 – terá de fazer algo de inédito: vir de trás para ganhar.
Concluídas as três primeiras voltas, o nº1 mundial, quatro vezes campeão do Masters, soma 213 pancadas (70-73-70), 3 abaixo do Par 72 do Augusta National Golf Club, na Georgia (EUA). O que o coloca em sétimo, a quatro pancadas dos líderes, que são o americano Brandt Snedeker (70-70-69) e o argentino Angel Cabrera (71-69-69), vencedor em 2009, ambos com -7.
O australiano Adam Scott (69-72-69) é terceiro com -6, seguido dos compatriotas Jason Day (70-68-73) – líder após o segundo dia – e Marc Leishman (66-73-72), com -5. Em sexto, com -4, surge o americano Matt Kuchar (68-75-69).
Ontem de manhã, antes do jogo, Woods soube que fora penalizado por ter feito na véspera um drop irregular no buraco 15. O seu score de 71 passou para 73 e, em vez de iniciar a terceira jornada em 7º, fê-lo entre os 19ºs. Apesar do castigo, exibiu-se em bom nível. “Falhei uns putts curtos e podia ter feito melhor nos pares 5”, disse.
Já Rory McIlroy, nº2 mundial, esteve desastroso nesta penúltima ronda: marcou um duplo bogey e um triplo e, com o resultado de 79, desceu 32 posições para 44º, somando um total de +5./RODRIGO CORDOEIRO

Deixar um comentário