Benfica vence o derby antes do derby

O Benfica venceu ontem o Sporting por 12-8 (pontos) no percurso de Ribagolfe I perto de Alcochete, no primeiro confronto oficial entre as secções de golfe dos dois clubes de Lisboa. A expectativa sobre o vencedor era grande durante o almoço, ninguém arriscando qualquer previsão de vitória.

Os prémios individuais foram para Gonçalo Pinto (3), José Gameiro, Rita Câncio Martins e Orlando Santos.

Este primeiro encontro, na modalidade de Match-Play, pares, reuniu 40 jogadores de cada clube. Dos inscritos e convocados ninguém faltou ontem e durante mais de cinco horas os fairways do Ribagolfe estiveram ornamentados das cores verde e encarnada.

Entre os participantes estiveram dirigentes das duas secções de golfe (Nuno Rocha Santos, Miguel Vieira, Orlando Santos), do SLB (vice-presidentes Rui Gomes da Silva e Domingos Soares de Oliveira), dirigentes do golfe do Sporting (Amilcar Camacho, Mário Oliveira, Ilídio Antunes), antigos futebolistas (Frederico Rosa, José Carlos Sousa e Alexandre Baptista), médicos, empresários, gestores, etc..

O Benfica alinhou com os três jovens jogadores com handicap mais baixo e todos das selecções nacionais: o campeão nacional Gonçalo Pinto (hand. +3.2), Miguel Gaspar (+1) e Gonçalo Costa (+2.3).

Este encontro de golfe, preparado durante um mês pelas secções dos dois clubes, é visto como possibilitando uma maior aproximação dos dirigentes do Sporting e do Benfica.

“Viveram-se hoje aqui, na véspera do grande ‘derby’, momentos engraçados de convívio e amizade. Espero que se repita muitas mais vezes e se junte ao excelente torneio de O Jogo, que é outro ponto alto do golfe nacional entre clubes. No âmbito do golfe não há inimizades, não há guerra entre os dois clubes”, disse Domingos Soares Oliveira.

“Foi uma iniciativa de louvar e que deve continuar entre os dois clubes, que por vezes se dão mal no futebol mas que no golfe são amigos”, referiu o antigo futebolista Frederico Rosa, que se deslocou do Algarve propositadamente para o ‘derby’.

“Este torneio mostra que é possível estabelecer contactos desportivos entre clubes que são rivais e tentam sempre ganhar, e é possível mostrar também um convívio e amizade. Não há razão para que as pessoas de diferentes clubes não possam confraternizar através de uma modalidade que gostam”, referiu por seu lado o antigo ‘internacional’ Alexandre Baptista.

“Foi uma iniciativa simpática de os dois clubes criarem secções de golfe. Dá mais unidade ao golfe nacional e mais uma forma de rivalidade, mas esta muito mais saudável”, salientou o antigo futebolista Sousa./Valdemar Afonso

Deixar um comentário