Os 14 meses de Yani Tseng sem vencer

A golfista taiwanesa, cinco vezes campeã nos majors e líder do ranking mundial durante 109 semanas consecutivas, não ganha há 14 meses e já desceu ao quarto lugar da tabela. Dizem os “rumores” que se viciou na diversão nocturna, levando até aos limites a comparação com Tiger Woods. Ela desmente. Mas assume que está exausta da pressão.

“É duro e é extremamente solitário. Ninguém pode imaginar o que se sente. Toda a gente quer estar nos nosso lugar, mas ninguém sabe o quão difícil é.” As palavras são de Yani Tseng, a golfista taiwanesa que esteve mais de dois anos consecutivos no topo do ranking mundial feminino, entre 2011 e 2013, e agora se encontra em queda livre, fazendo lembrar a travessia no deserto empreendida por Tiger Woods entre 2009 e 2011. “No primeiro ano como número 1, senti-me muito bem. Mas, de mês para mês, havia mais expectativas à minha volta. E isso aumentou muito a pressão que eu sentia”, contou há dias, em entrevista à Associated Press. “Agora, não me quero concentrar no primeiro lugar do ranking. Dei-lhe demasiada atenção no ano passado. Quero desfrutar do prazer de jogar golfe.” Há agora 14 meses que a taiwanesa não ganha um torneio (o último foi o Kia Classic, do LPGA Tour, em Março de 2012). Entre 2008 e essa altura, ganhou quase tudo: cinco major championships, mais dez torneios no LPGA Tour e outros oito entre os circuitos europeu, taiwanês e australiano. Há dois anos, e com apenas 22, era tida não apenas como a resposta às preces dos promotores do golfe feminino, ainda inconformados com a perda sucessiva de Annika Sorenstam e Lorena Ochoa (ambas deram por terminadas as carreiras na alta competição para se dedicarem à procriação), mas às dos promotores do golfe em geral, sempre interessados em descobrir a nova mulher-capaz-de-fazer-frente-aos-homens. Apesar da figura franzina e de uma relativa falta de carisma, Tseng era então vista como a definitiva versão feminina de Tiger Woods. Pois em meados de Março perdeu o topo do ranking para a americana Stacy Lewis – e entretanto já a ultrapassaram também as sul-coreanas Inbee Park (nova líder da tabela, já com três vitórias em 2013) e Na Yeon Choi. Os resultados não são desastrosos: depois de três top3 a abrir a época, os últimos resultados incluem um 48º lugar no Kraft Nabisco  Championship, um 38º lugar no LPGA Lotte Championship in Hawaii e, ainda na semana passada, um 28º no North Texas LPGA Shootout, incluindo duas boas rondas de abertura (69). Mas são já vários meses que não consegue juntar quatro boas jornadas na mesma semana – e, pior, admite agora que está exausta. Só por isso, garante, chegou atrasada, no final de Março, ao seu tee time do pro-am do LPGA Kia Classic, provocando um verdadeiro terramoto no circuito. Os “rumores” de que anda perdida na noite, ingerindo álcool e fazendo a festa até de manhã, diz, são absolutamente falsos. Serão mesmo?/JOEL NETO

Deixar um comentário