As 3 vezes de Filipe Lima

Está praticamente confirmado: o luso-francês volta ao European Tour em 2014. Será a primeira vez que o nosso país dispõe de dois jogadores com isenção total na primeira divisão do circuito europeu. E não é totalmente impossível haver um terceiro…

O exercício tem o seu quê de tortuoso, mas alguma plausibilidade teórica: Portugal pode ter em 2014 mais do que dois jogadores com isenção total no European Tour. Basta que Pedro Figueiredo ou outro dos jogadores lusos em prova no próximo Portugal Masters ganhe a competição ou, no final do ano, se qualifique via Qualifying School.  Mas, aconteça isso ou não, a próxima temporada é desde já a aquela em que Portugal melhor se representa ao mais alto nível em mais de 120 anos de prática da modalidade. Ricardo Santos, que chegou pela primeira vez à divisão mais alta do golfe europeu no final de 2011, renovou o seu cartão para o próximo ano logo nos primeiros torneios disputados em 2013, ainda antes de chegada a Primavera. E, agora, Filipe Lima, luso-francês que jogou pela primeira vez o European Tour em 2005, encontra-se de regresso ao campeonato, praticamente confirmada que está, com o actual segundo lugar e os mais de 80 mil euros em prémios já acumulados, a sua qualificação via Challenge Tour. “O ano ainda não acabou, pelo que tenho de continuar a fazer o que tenho feito. Mas estou contente, pois o muito trabalho realizado na pré-época está a dar os seus frutos. Agora, tenho de ser paciente. E deixa-me contente verificar que consigo sê-lo”, disse o jogador no domingo passado, após mais um segundo lugar num torneio do Challenge Tour, desta vez o Finnish Challenge, que o levou ao segundo lugar do ranking do circuito, com € 80.192 acumulados, quase mais 40 mil euros do que o último qualificado com isenção total e cerca de 60 mil euros mais do que o último qualificado com isenção parcial. Objectivo seguinte: ganhar um torneio. “Ando à procura de uma vitória e sei que não estou longe”, diz. Criado e formado como golfista em França, o jogador usou bandeira gaulesa em todos os escalões amadores e passou a representar Portugal depois de um acordo com a Federação Portuguesa de Golfe. Várias vezes vencedor no Alps Tour, através do qual se qualificou para jogar o Challenge Tour em 2004, ganhou o Aa St Omer Open 2004 (dual ranking European/Challenge Tour), o Segura Viudas Challenge de España 2994 (Challenge Tour) e o ECCO Tour Championship 2009 (Challenge Tour). Perdeu pela primeira vez o cartão do circuito no final de 2008, mas tornou a recuperá-lo para 2010. 2013 é o seu terceiro ano consecutivo na segunda divisão europeia, em que tornou a cair na sequência de várias lesões, mas entretanto problema já está novamente resolvido para 2014. Este ano, no Challenge Tour, Filipe Lima jogou 14 torneios, falhando apenas um cut e conquistando um total de sete top10, incluindo dois segundos lugares. O seu regresso ao European Tour talvez venha introduzir uma dificuldade no planeamento de Ricardo Santos, que já tem sentido bastantes dificuldades na obtenção de patrocínios mesmo encontrando-se sozinho. Mas, para já, é tempo de festejar.

Deixar um comentário