Tiger: as lesões continuam

E, pronto, aí está mais uma. O que muitos observadores agora questionam não é se Tiger Woods estará ou não em condições físicas para o The Masters, dentro de um mês: é quantas vezes ele poderá ganhar no PGA Tour – e, entre elas, quantas em majors, torneios quase sempre disputados em campos longos ou muito longos – enquanto não recuperar a confiança na utilização do driver. Para já, porém, as lesões voltam à ordem do dia. Embora tranquilo no topo do ranking mundial, o californiano voltou domingo passado a desistir a meio de uma ronda, a quarta do Honda Classic. Motivo desta vez: as dores nas costas, que o deixavam na altura sem saber se poderia participar no WGC-Cadillac Championship que se conclui hoje. É um mau arranque para o já chamado “ano ideal”: aquele em que o Grand Slam se restringe a campos em que Tiger já ganhou e, aliás, brilhou abundamentamente. Lá em cima, no topo do ranking de majors, Jack Nicklaus começa a ver as suas 18 vitórias cada vez menos ao alcance das 15 de Woods. Terá razões para estar tranquilo?

Deixar um comentário