O homem por que se esperava

Rory McIlroy tornou-se apenas o terceiro jogador a vencer três majors até aos 25 anos e é o único com mais de duas vitórias no Grand Slam nos últimos sete. Terá o jogo dos fairways encontrado, enfim, um sucessor para Tiger?

Os recordes acumulam-se. Ao vencer o British Open de domingo, no Royal Liverpool GC, o norte-irlandês Rory McIlroy, 25 anos, tornou-se o terceiro jogador na história do golfe a ganhar três majors antes dos 26, imitando o que acontecera com Jack Nicklaus (23 anos) e Tiger Woods (24), não por acaso os dois maiores campeões da história da modalidade. Mas não só. Rory, o segundo jogador mais jovem de sempre a chegar ao topo do ranking mundial, em 2011, é agora o único golfista do mundo com mais de dois majors ganhos nos últimos sete anos, para além de apenas o sétimo campeão do mais importante torneio do mundo, com 134 anos de tradição, a liderar em todas as quatro voltas.

“O golfe suspirava desesperadamente por um jogador dominador. E esse jogador pode de facto ser Rory McIlroy. Para ele, o céu é o limite”, escreveu Kurt Badenhausen, da revista “Forbes”, logo a seguir ao triunfo de domingo. Desde que Tiger Woods ganhou o seu último major, o US Open de 2008, as audiências de televisão declinaram, a venda de equipamento caiu aos trambolhões e o número de campos em inauguração ao redor do mundo abrandou significativamente. E encontrar um campeão com perfil de farol, capaz de carregar o estandarte que Tiger carregou nos últimos quinze anos, foi sempre tido como a única solução.

Pois aí está Rory. “Gosto do estilo dele. Adoro como se controla em campo”, disse logo no domingo Jack Nicklaus, ainda líder na classificação histórica dos majors (18). “É agressivo. Quando joga bem, joga mesmo muito bem”, acrescentou Tiger Woods (segundo, com 14). McIlroy, esse, prefere não perder a pose de quem ainda está a aprender. “Estou orgulhoso de mim próprio. Deixa-me muito impressionado estar aqui, aos 25 anos, com três quartos do caminho feitos para o Grand Slam de carreira. Nunca pensei chegar a este ponto do meu percurso tão depressa”, diz, humildemente. Tem sido a sua principal força.

Tiger não impressiona Watson

Tiger Woods abriu o British Open com um 69, mas depois entregou três cartões na casa das 70 pancadas (77-73-75). Acabou em 69º, com apenas três dos jogadores que passaram o cut atrás, e tornou a permitir dúvidas sobre o que ainda valerá. Ninguém esperava, porém, que fosse batido por Tom Watson, o capitão da Ryder Cup – precisamente o homem de quem pode depender para chegar à competição, em Setembro. No último dia, e jogando ao lado de Woods, Watson, de 64 anos, fez menos sete pancadas do que ele. Ao longo da semana, menos cinco. Se Tiger estava a tentar impressioná-lo, não conseguiu…

 

Deixar um comentário