PORTUGAL MASTERS: Portugueses a meio-gás
Ricardo Santos

Ricardo Santos abriu bem o torneio de Vilamoura, com um sólido -2 que o deixa, para já, no primeiro terço da tabela. Todos os restantes estão fora do cut provisório. Vítor Lopes ainda não acabou a ronda

Ricardo Melo-Gouveia e Filipe Lima, Tiago Cruz e Pedro Figueiredo, João Carlota, Tomás Silva e Vítor Lopes – todos eles vão precisar hoje de ronda boas, muito boas ou mesmo estrondosas para se qualificarem para as duas jornadas finais do Portugal Masters. O principal torneio nacional arrancou ontem, em Vilamoura, e Ricardo Santos é o único português dentro do cut provisório.

O algarvio precisa de um top2 para recuperar o cartão do European Tour, ou pelo menos de um top10 para dispor de nova oportunidade para a semana, no Hong Kong Open. Desta vez, abriu com uma sólida volta de 69 pancadas (-2), que apenas um duplo-bogey no 14 veio ensombrar um pouco.

“Falhar shots todos vamos falhar”, disse, ao final do dia. “Aqui, no Oceânico Victoria [REPORTAGEM COMPLETA N’O JOGO DE AMANHÃ]

CLASSIFICAÇÃO

PORTUGAL MASTERS  

Pos.    Jogador          País    Rondas          Res.

T1       Nicolas Colsaerts       Bélgica            64 – – –            -7

T1       Andy Sullivan            Inglaterra       64 – – –            -7

T3       Thomas Pieters         Bélgica            65 – – –            -6

T3       David Drysdale          Escócia            65 – – –            -6

T3       Eduardo De La Riva  Espanha         65 – – –            -6

T3       Thomas Aiken            África do Sul  65 – – –            -6

T7       Trevor Fisher Jnr.      África do Sul  66 – – –            -5

T7       Kristoffer Broberg    Suécia 66 – – –            -5

T7       Johann Carlsson        Suécia 66 – – –            -5

T7       Jorge Campillo           Espanha         66 – – –            -5

T7       Paul Maddy   Inglaterra       66 – – –            -5

—————

T33     RICARDO SANTOS     PORTUGAL     69 – – –            -2

T68     RICARDO MELO-GOUVEIA   PORTUGAL     71 – – –            Par

T68     JOÃO CARLOTA          PORTUGAL     71 – – –            Par

T68     TOMÁS SILMA (AM)             PORTUGAL     71 – – –            Par

T68     TIAGO CRUZ   PORTUGAL     71 – – –            Par

T98     VÍTOR LOPES PORTUGAL     * – – –   +2

T121   PEDRO FIGUEIREDO PORTUGAL     77 – – –            +6

T124   FILIPE LIMA   PORTUGAL     78 – – –            +7

 

PORTUGUESES

 

RICARDO SANTOS

Profissional, 33 anos

33º class. (-2)

 

Fez um duplo-bogey no 14, mas de resto só cedeu uma pancada no 9. Diz ter tido “boas sensações”.

 

RICARDO MELO-GOUVEIA

Profissional, 24 anos

68º class. (Par)

 

Não brilhou nem comprometeu. Já nos habituou a fazer torneios de trás para a frente. A ver hoje.

 

JOÃO CARLOTA

Profissional, 25 anos

68º class. (Par)

 

Fechou com um duplo-bogey no 18, para acabar a Par. Deu ideia de que pode fazer melhor hoje.

 

TOMÁS SILVA

Amador, 22 anos

68º class. (Par)

 

Dois birdies, dois bogeys e o resto tudo pars. Regularidade notável para um jovem amador.

 

TIAGO CRUZ

Profissional, 32 anos

68º class. (Par)

 

Cedeu um duplo-bogey no 9, mas recuperou. Parece manter a boa forma dos últimos tempos.

 

VÍTOR LOPES

Amador, 19 anos

98º class. (+2)

 

Tem ainda três buracos para jogar, incluindo um muito difícil (7). Vai começar o dia cedo.

 

PEDRO FIGUEIREDO

Profissional, 24 anos

121º class. (+6)

 

Uma ronda para esquecer, com três bogeys, um duplo e até um triplo. Demora a encontrar-se.

 

FILIPE LIMA

Profissional, 33 anos

124º class. (+7)

 

Fechou com um birdie no 9, e foi quase tudo o que mostrou. As lesões e o desânimo não o largam.

 

Deixar um comentário