Spieth mantém liderança

A segunda ronda do Masters fez brilhar um amador e cair várias estrelas. No fim, o norte-americano continuou na frente

 

Phil Mickelson, Rickie Fowler, Zach Johnson, Graeme McDowell, Ryan Moore e Charl Schwartzel são apenas algumas das superestrelas que ontem falharam o cut no The Masters Tournament, primeiro major de golfe de 2016. O jovem amador Bryson DeChambeau chegou a andar na segunda posição, mas fechou com um triplo-bogey e caiu para o oitavo lugar (E). Jordan Spieth concretizou, pois, a sua sexta ronda consecutiva na liderança da prova – contando com as quatro de 2015, naturalmente –, o que lhe permite igualar o recorde de Arnold Palmer. O norte-americano tem -4, menos uma pancada do que Rory McIlroy (2º, -3) e cinco do que Jason Day (14º, +1). O dia foi tão duro, com tanta gente a cair do céu ao Inferno no back nine, que há apenas sete jogadores abaixo do Par.

 

Tom Watson despede-se com emoção

“Eu voltarei!” “I’ll be back!”– tal qual dizia Arnold Schwarzenneger. Foram as palavras de Tom Watson, ontem, ao abandonar o green do buraco 18 de Augusta. O pentacampeão do British Open, de 66 anos, atingiu o limite de idade e não volta a jogar o Masters. Acabou com um belo par, que lhe permitiu finalizar as duas primeiras voltas com +8, a duas pancadas do fim-de-semana. Uma ronda comovente do início ao fim, incluindo um momento de homenagem a Bruce Edwards, o caddie entretanto falecido: a deposição de uma sandes de ovo, a refeição que partilhavam, junto ao tee do 13.

Deixar um comentário